17 de dez de 2010

Gostaria


Adoraria poder andar de mãos dadas no momento em que eu necessitasse disso.
Gostaria de deitar no colo e ter meu cabelo acariciado, num dia qualquer da semana, sem precisar ser programado.
Sinto-me sozinha às vezes, e caminhando ao lado, e não junto, de quem tanto amo.
Esses dias andei relendo um caderno do começo de 2009. Sorri e derramei lágrimas, mais uma vez ansiei por segurar na mão e, neste dia, me faltou a lembrança dela. Do toque, da espessura, da sensação do calor...
Sinto falta e não sei, ao certo, até onde deveria sentir isso.
Sinto medo e não sei, ao certo, até onde preciso deles.
Sinto saudade e não sei, ao certo, até onde caminharei com esse sentimento.
Sinto lágrimas derramando em meu rosto e não, sei ao certo, até onde serão apenas minhas.
Sinto dores de certas coisas e não sei, ao certo, até onde me perseguirão.
Sinto amor e não sei, ao certo, até onde me levará.

Eu apenas gostaria, hoje, de andar de mãos dadas. Nada mais.

12 de dez de 2010

O que é o amor pra mim?


Durante alguns dias andei escrevendo o que é o amor pra mim...

Segue minha reflexão.

O AMOR PRA MIM É:

um caminho a seguir,
uma decisão a tomar,
uma vida decidir,
um sonho realizar,
um olhar admirar...
esperança encontrar,
paz degustar,
conforto proporcionar,
lágrimas derramar,
objetivos concretizar,
distância vivenciar,
renuncias acumular,
conflitos contornar,
saudade administrar,
ao outro submeter,
a voz desejar,
às lembranças se apegar,
feriado aguardar,
a chegada ansiar,
humor arrumar,
descobrir mentiras e não saber em que verdades acreditar,
reconhecer erros e perdoa-los,
segurar as mãos e saber-se segura,
viver apenas viver...

Sem dúvida, amor é uma decisão.

8 de dez de 2010

Era uma vez...


Como eu não gosto de contos de fadas, prefiro começar a contar essa história de outra maneira...
A muitas e muitas luas atrás...
Bem, essa pequena história é sobre uma menina/mulher que se encontra, se descobre, se conhece.
Até aquela idade as coisas para ela pareciam "normais", se bem que com ela o normal nunca foi exatamente normal.
Um dia, por causa de uma amiga em comum, (e hoje, no presente, ela se dá conta de que tudo na vida dela acontece com interferências de amigas em comum), e por um motivo bobo, sim bobo, eis que ela conhece uma pessoa que iria mudar e muito o rumo de sua vida.
Ambas começaram a se falar e a se aproximar para fazerem uma festa de despedida. Sinceramente, hoje essa menina/mulher (que agora é mulher) desejaria que aquela despedida nunca tivesse acontecido. Assim como ela desejaria ser rica também e ter um carro zero....
Como o acaso não existe e coincidências também não, ambas ficaram muito próximas e confidentes.
Um dos maiores arrependimentos da Mulher, hoje, foi sem dúvida não ter ouvido sua alma quando lhe mostrou que iria se magoar, se ferir, se machucar.
Uma menina/mulher com sentimentos nunca antes experimentados, sonhados, provados, desejados e acima de tudo impuros, indecentes, incoerentes e que, com certeza, a faria queimar a eternidade inteirinha no mármore do inferno.
Aquela, que antes era amiga, foi amante, confidente e traidora.
O chão foi perdido, as esperanças jogadas no lixo e a alegria refugiou-se por um longo tempo.
Como o tempo é o melhor remédio para todo e qualquer problema, ele não resolveu nada à principio.
Foram dias e dias, luas e luas em lágrimas, dores e desilusão.
As chuvas da primavera, foram, pouco a pouco, regando o chão árido do coração da Mulher e ela começou a observar as coisas de uma outra maneira.
Sentiu raiva, ódio, rancor, mágoa, tristeza...de si e da amiga. Mas começou a reconhecer que boa parte de tudo o que ela havia outrora sentido, exigido (principalmente de si mesma), culpado e amado não tinha mais do que a raiz frágil e e sem firmeza no solo de sua carência.
Ahhh como muitas coisas teriam sido diferente se aquela menina/mulher não fosse dominada por sua carência excessiva e destruidora. Se não encontrasse na amiga a mesma carência e uma dosagem de safadeza.
Mais uma vez a Vida não poupou-a de nada. Contudo, dessa vez foi para que, num futuro que ela nem poderia imaginar, soubesse conhecer e reconhecer a verdade de sua alma.
A Mulher hoje, é acusada por vezes, de ser presa ao passado, de não dar passos e de amar aquela do passado e não a pessoa do presente.
Antes a Mulher não poderia denominar o que dessas acusações eram verdades ou não. Na realidade de hoje reconhece que ficou presa ao passado, que não quis admitir erros e não conseguia expor o tamanho da carência que a fez cometer algumas insanidades.
Na sinceridade, ela expõe, que não amou como era pensado, já que o que a motivou a vivência de todos os sentimentos não foram a cumplicidade, a irmandade, a alegria e a esperança. Foi sim, o contrario de tudo isso, o medo da solidão, a tristeza, desesperança e carência.
Impossível haver um sentimento tão nobre em meio a tanto tormento interior.
Reconhecer que viveu uma farsa pra si mesma durante anos e que pior do que isso, cultivou essa farsa com o medo obscuro de sua alma em não aguentar a mais pura verdade que era a de que tudo não passou de uma mentira, fantasia, ilusão, não tem sido tarefa fácil.
As janelas foram abertas, as portas escancaradas, os sotãos começaram a ser limpos, higienizados, desinfetados.
A Mulher tem agora a visão de sua história, sua vida, seu passado, presente e os anseios e desejos para o futuro. Um pano na cabeça, um balde, uma vassoura, rodo, pá, panos e a decisão de não permitir que as dores da menina/mulher permaneçam desnecessariamente.
A limpeza começou, e assim como a reconstrução de uma casa abandonada demora tempos para ser concretizada, a casa da Mulher não terá uma aparência diferente na manhã seguinte.
É um trabalho solitário, não podendo pedir ajuda, pois a Mulher precisa estar só para se reconhecer, conhecer, convencer, aceitar, amar e odiar.
Buscando preservar, cultivar, cuidar e zelar por tudo aquilo que vive na mais pura verdade de sua alma, a Mulher sorri e sabendo ser um trabalho cansativo e árduo, apenas olha nos olhos de sua Amada, segura sua mão e se vendo nos olhos amante encontra fôlego para continuar.


6 de dez de 2010

Fim de ano chegando.


Mais uma vez estamos na correria para o fim do ano.
Sem falar no dinheiro que não existe mais e as dividas que não param de chegar.
Deveria existir um limite de dividas possíveis de serem pagas no mês de dezembro...assim como essas promessas de ganhe isso, grátis aquilo também poderiam acontecer comigo qualquer dia desses.
Enfim, a vida continua.
E esse fim de ano tem sido diferente pra mim.
Coisas aconteceram, situações foram vivenciadas e revivenciadas, situações que eu acreditava não mais ter de passar novamente, porém, a vida não faz as coisas do jeito que imaginamos e esperamos.
Não gosto de pedir presentes de natal pois esses para mim devem estar vinculados a idéia de nascimento de presentear o salvador que vem ficar ao nosso meio.
Como hoje isso não faz parte de minha vida, costumo dizer que não quero favorecer o comércio e o desejo desenfreado dessa sociedade consumista.
Contudo, esse ano quero desejar um presente. Quero desejar o silêncio do meu coração e a sabedoria de ouvir sem falar, sem questionar, sem reprovar, apenas ouvir.
Obviamente tenho a certeza, e a experiência, de que quando se coloca a ouvir, por mais que já tenhamos imaginado (preste atenção na palavra: IMAGINADO) o que poderíamos ouvir, nunca é de fato o que por nós foi pensado. E mesmo que as palavras sejam aquelas pensadas elas tem outro peso que naquele momento, solitário da imaginação, não pode ser vivido.
A vida é isso, uma dinâmica, impossível, de ser prevista.
Desse ano, diferente de outros, levo de bom amadurecimento e crescimento, pessoal, profissional, familiar e relacional (essa palavra acho que nem existe..rsrs).
Guardarei também lembranças boas de uma turminha barulhenta e exigente.
Preservarei no baú de minhas histórias as conversas com a Amada e as lágrimas derramadas, para que no futuro elas me reanimem e me tragam à realidade.
Confesso que é um fim de ano bem diferente do meu desejo... mas é a minha realidade.
E que venha 2011 com caminhos novos a serem trilhados.
Só uma coisa, no meu relacionamento o que gostaria que papai noel desse é o cultivar o desejo e a ansia pela verdade e a disposição e acolhimento para o perdão. E que não tenhamos a distancia, cruel, em 2011.


19 de nov de 2010

Um daqueles dias


Hoje é um daqueles dias que eu adoraria ter seu cheiro.
Deitar em teu colo.
Sentir teu calor.

Ver-me em teus olhos e deixar o monstro que se apossa em mim ir embora devagar...
Cadê você aqui?
Cadê sua voz ao celular?
Cadê as letras digitadas por ti no msn?
Cadê você?


23 de out de 2010

Realmente é tempo de mudança...


Eu tentei e cheguei ao meu limite. Estou no meu caos...então vamos às mudanças.
Amada não quis mais escrever no blog, na verdade acredito que ela nunca quis, apenas aceitou para me fazer um agrado então agora sou só eu.
Arrumei de uma forma diferente o blog, tentei fazer algo que eu gostasse e que de certa forma me identificasse mais.
Mudança é essa a palavra de ordem para tudo o que anda acontecendo comigo ultimamente.
Espero que gostem, que leiam que façam comentários.
Vou tentar escrever mais, me mostrar mais...mudar, isso!!! agora é hora para isso.
Depois veremos o que permanece e o que se coloca de lado.

Quero desbravar cada vez mais o meu eu, quem sou o que sou e quem ainda posso ser. Com a grandeza de não deixar de ser eu.

Nos encontramos entre um papo e outro...

21 de out de 2010

Limpar as vezes faz bem...


Hoje completei uma limpeza que a um tempinho atrás havia começado.
Tive a oportunidade de rever algumas coisas de pessoas queridas, recordações me veio à mente e eu apenas sorri.
Sim sorri com as lembranças, com a saudade, com a vontade, com o que de bom ficou em mim das pessoas que por mim já passaram.
É bom limpar, é bom colocar em ordem, é bom renovar.
E sorrir...rsrs
Amores que se foram e ao mesmo tempo permanecem, amizades que fizeram questão de ir mas que nunca deixaram de estar...
A limpeza ajuda reviver alguns momentos e isso foi bom, foi renovador.
Relembrar bobagens de uma época onde o que me importava era apenas as bobagens, que pena que não pode mais ser assim e que bom que não pode mais ser assim.
Parte de meu ser quer o passado e suas não responsabilidades, apesar de minha vida toda ter sido de responsabilidades, e a outra parte quer o presente e suas responsabilidades e consequências.
Como não posso estar somente lá, vivo o melhor de mim aqui relembrando o que foi lá e isso faz o que eu sou.
Não falo de mágoas, de dores, sofrimentos...isso é só detalhes de uma vida que é vivida.
Falo dos sorrisos, da experiência do olho brilhando, das andadas na beira da represa, das promessas nunca cumpridas, dos corações desenhados em todos os objetos possíveis e imagináveis...
E agora começa uma nova etapa daqui a algum tempo outra limpeza, outras lembranças e mais sorrisos para guardar em minha memória do que tem sido o hoje, aqui.

18 de out de 2010

Apenas fechei os olhos...


Computador, eu, cansaço, trabalho, pensamentos, crianças....essa era eu na frente do pc depois de ver alguns seriados e começando a fazer atividades para as crianças.

De repente fecho o meu olho e abro bem na frente da lembrança que compramos em Buenos Aires, em abril deste ano.
Por um instante saí de mim. Fui levada novamente àquele lugar, senti o cheiro, vi as pessoas, o colorido, a Amada empolgadíssima (ela não estava tão empolgada em Santiago do Chile), os risos, o som do tango, os dançarinos de tango, o vinho, as macarronadas que comemos, os drink's que aprendi a tomar...

Tudo, tudo, tudo.

Tudo de um feriado e de uma comemoração.

Estranho essas coisas que a nossa mente faz conosco. Estamos quieta e de repente...tcharam, lá vem ela com uma de suas surpresas.

Esse souvenir em especial que estou a olhar, me lembra uma casa, até porque é uma casa, rsrsrs. Quero dizer que me lembra lar, família, segurança, porto, esperança...

Talvez seja pela nossa casa nova, talvez porque hoje me sinto em casa em mim mesma. Ou porque eu simplesmente quero estar sempre em casa.

Como saber? Tenho mesmo de saber?

Vou apenas ficar com a sensação boa que esse souvenir me trouxe, e fazer de tudo para ter outros momentos ótimos como esse.

Lembranças boas é o que quero sempre guardar em minha alma, em meu ser e em meu lar.

15 de out de 2010

Não sei como, onde e no que pensar


Eu quero dizer, quero escrever, mas nem sei por onde começar, como começar e como fazer para o que ecoa dentro de mim se transformar em palavras escritas.

Penso que estou fazendo o correto e o melhor e descubro que não é dessa forma como é visto, entendido, aceito, vivido pela outra pessoa.

Ahhhhhh, não sei mesmo como fazer.


Vidas diferentes tem dessas coisas de um falar e o outro não interpretar ou vice versa.

Seria tão mais simples se as vezes só nos colocassemos no lugar da outra pessoa, se ao invés de criticar ou nos fazer de vitimas, apenas aceitassemos o que estamos ouvindo, vendo, lendo.


Esperava outra reação, pensei em ter outra ação, acreditei que seria um passo e que seria acolhida e reconhecida, ledo engano.


Me encontro novamente na situação estática.

Não quero ter receios, nem medos, nem ficar parada. Quero sorrir, quero amar, quero ser eu, simplesmente eu...me aceite assim por favor.


Faça de seus braços meu asilo.


Ainda não sei como, onde e no que pensar.

30 de set de 2010

Liberdade, liberdade...


Ando pensando no que vem a ser liberdade.
Usei por muitas vezes essa palavras, fiz uso dela muitas vezes, mas o que realmente é liberdade.
Sempre ouvi dizer que a minha liberdade acaba quando começa a do outro, Mas como medir????? Quem irá medir?
Isso tem me consumido.
Vou fazer isso porque minha liberdade me permite.
Não quero aquilo pois estou no direito de minha liberdade de querer ou não.
Quando faço escolhas, faço-os com minha liberdade. OTEMO.
O tempo passa e eu faço outras escolhas ignorando às que tinha feito antes e como num passe de mágica não me importo mais com as consequências das escolhas anteriores e só me preocupo com as do momento e daqui a algum tempo, quando eu me encher das consequências dessa nova escolha farei outras e outras sempre ignorando as antigas e me esquivando das responsabilidades.
Por vezes sinto-me antiguissima, por outras quadrada e tantas outras coisas. Mas sempre tentei ser um tanto quanto responsável com as escolhas que fiz, se utilizando de minha liberdade.
A liberdade de não atender um telefonema hoje será a mesma que não me permitirá ouvir à voz daquela pessoa numa outra situação.
Só preciso entender a liberdade.
Acostumar-me com o outro não é fácil, tem suas peculiaridades, tem sua beleza e sua feiúra.
A liberdade, liberdade....venha me ensinar algo...

Liberdade, liberdade...


Ando pensando no que vem a ser liberdade.
Usei por muitas vezes essa palavras, fiz uso dela muitas vezes, mas o que realmente é liberdade.
Sempre ouvi dizer que a minha liberdade acaba quando começa a do outro, Mas como medir????? Quem irá medir?
Isso tem me consumido.
Vou fazer isso porque minha liberdade me permite.
Não quero aquilo pois estou no direito de minha liberdade de querer ou não.
Quando faço escolhas, faço-os com minha liberdade. OTEMO.
O tempo passa e eu faço outras escolhas ignorando às que tinha feito antes e como num passe de mágica não me importo mais com as consequências das escolhas anteriores e só me preocupo com as do momento e daqui a algum tempo, quando eu me encher das consequências dessa nova escolha farei outras e outras sempre ignorando as antigas e me esquivando das responsabilidades.
Por vezes sinto-me antiguissima, por outras quadrada e tantas outras coisas. Mas sempre tentei ser um tanto quanto responsável com as escolhas que fiz, se utilizando de minha liberdade.
A liberdade de não atender um telefonema hoje será a mesma que não me permitirá ouvir à voz daquela pessoa numa outra situação.
Só preciso entender a liberdade.
Acostumar-me com o outro não é fácil, tem suas peculiaridades, tem sua beleza e sua feiúra.
A liberdade, liberdade....venha me ensinar algo...

16 de set de 2010

Quem sabe um dia...

Cria

Maria Rita

Composição: Serginho Meriti/Cesar Belieny

Crescendo foi ganhando espaço
Pulou do meu braço
Nasceu outro dia e já quer ir pro chão
Já fala mãe, já fala pai
Já não suja na cama
Não quer mais chupeta
Já come feijão
E posso até ver os meus traços nos primeiros passos
Tropeça e seguro e não deixo cair
Se cai, levanta, continua
A porta da rua fechada
Criança não deixo sair
Da linha, da linha

Reflexo no espelho leva à emoção
A lágrima ameaça do olho cair
Semente fecundou
Já começa a existir

É cria, criatura e criador
Cuida de quem me cuidou
Pega na minha mão e guia

11 de set de 2010

Eu tenho uma história


Estou aqui na net sem ter muito o que fazer, esperando o download do seriado da Bones e comecei a rever fotos minha do orkut.
Fiquei surpresa de ver que só tenho fotos, lá, a partir de 2008. Me recordo que meu orkut foi feito antes disso... comecei a ver as fotos, os albuns, e me dei conta de que já tenho uma história.
Uma história real, verdadeira.
Sempre sonhei em ter uma história com alguém.
Aquela coisa de contar um fato e aquela pessoa ter feito parte, de contar outro fato e novamente a pessoa estar lá, de deitar na cama e contar uma situação inusitada para meu amor e ouvir "eu sei disso eu estava lá também"...e hoje me dei conta que isso realmente tem acontecido em minha.
Sim, admito que não necessariamente como eu gostaria que fosse.
Essa história já derramou lágrimas de mim, tanto de dor como de amor. Já me fez sorrir, ter vontade de sumir. Me fez ter saudades e também agradecer por estar longe.
As vezes achava que por ter momentos ruins não poderia ser uma história, me enganei, pois as verdadeiras histórias tem tudo o que eu tenho vivido desde 2008.
E mais uma vez me emocionei. Por saber que tudo aquilo que eu quis eu conquistei, eu cativei eu cultivei.
Hoje tenho um amor não daqueles que filme de romance, surreal, mas tenho um amor real, um amor que as vezes quer ficar sozinho na certeza de que jamais estará só, um amor que pede para ouvir a voz não por dominação ou para ter certezas mas sim para sentir paz no coração.
Tenho aprendido a ser feliz, coisa que eu nunca soube o que era.
Deixo o passado cada vez mais distante toda vez que converso com a Amada e ela, até sem saber, me faz refletir sobre questões que eu nunca imaginaria existir dentro de mim.
Quando nossa família começar a crescer teremos histórias boas pra contar, pra lembrar, pra mostrar.
EU TENHO UMA HISTÓRIA.
Você quer ouvir?

25 de ago de 2010

CONQUISTA


ALEGRIA
EMOÇÃO
RAZÃO
PAIXÃO

ESTAR CONTIGO,
ESTAR A SÓS,
ESTAR CONOSCO,
ESTAR NO AMOR.

SONHO
ENCONTRO
SUSPENSE
CONFIRMAÇÃO

FUTURO
ESPERANÇA
PROVA
AMOR.

8 de ago de 2010

NOSSOS CORPOS



SUSPIRO
ARREPIO
DESEJO
TESÃO

TE OLHO
ME VEJO
TE SINTO
TE SUGO
TE CHUPO

TEU SEIO
MINHA BOCA
TEUS LÁBIOS
MEU SEXO

SUOR
SORRISO
GOSTO
GOZO

A.N.A.

6 de ago de 2010

E tudo recomeça outra vez...e outra vez...e outra vez...






Eu não vou falar de retorno de férias pois nem todo mortal brasileiro tem esse benefício de ficar em casa no mês de julho e depois em janeiro novamente..
Vou apenas dizer que aqueles, raros mortais, que tiveram esse privilégio, observaram que as coisas não recomeçam pelo simples fato delas não terem parado.
Ficamos uns dias em casa e quando voltamos ao fantástico mundo da realidade observamos que nada, simplesmente, nada mudou...ABSOLUTAMENTE nada.
As pessoas continuam prepotentes, por vezes insignificantes.
Cadê a alegria, o riso pelo simples, singelo, belo?????? Precisamos urgentemente rever nossos conceitos. Repensar o que essa sociedade capitalista tem feito conosco.
Saímos de férias e voltamos mais esgotadas do que quando estávamos apenas trabalhando e estudando.
Certa vez uma professora nos ensinou "Não sabemos o que fazer quando estamos no nosso momento de lazer. E isso é de certa forma comodo para a industria..."
Verdade. Quanto menos damos valor ao social, ao lazer, ao ir ao parque, museu, teatro, cinema, passear na praça em frente a nossa casa (aqueles que tem a graça de te-la) mais nos focamos no trabalho e fazemos desse o nosso foco principal e não o meio pelo qual teremos uma qualidade de vida melhor.
Tomemos cuidado com nossas escolhas...com as escolhas que mostramos para nossas crianças como ideal e melhor.
E vivamos esse segundo semestre....
Para que mais uma vez tudo possa recomeçar.

31 de jul de 2010

Ahhhhhh como é bom ter você...


Eu já estava quase desligando meu pc quando resolvi vir aqui no blog ver se tava tudo bem...e para minha tristeza tava tudo mais do que bem, o que significa que ninguém vem me visitar...bem, mas prossigamos.

Mas não podia dormir sem deixar aqui registrado o quanto tenho sido amada.

É a Amada ta num momento todo carinho, o que eu to adorando, e tem me feito alguns mimos.

Hoje me mandou uma mensagem lindissima (torpedo) que me derreteu toda.

Lógico que ela não sabe disso..r.srsrs.

Mas estou amandorando tudo isso, toda essa energia positiva, esse revigorar que a vida tem nos dado.

Lembrei de uma música da Maria Rita (olha só não falei de Ana Carolina...rsrsr) que diz:


"Se perguntar o que é o amor pra mim

Não sei responder,

Não sei explicar.

Mas sei que o amor nasceu dentro de mim

Me fez renascer, me fez despertar.....

...

Até hoje ninguém conseguiu definir

O que é o amor.

Quando a gente ama brilha mais que o sol

É muita luz, é emoção o amor.

Quando a gente ama é o clarão do luar

Que vem abençoar o nosso amor...."


E quem é que não fica radiante com o amor?

Quem fica indiferente a algo que move tudo o que tem dentro de nós..alegrias, felicidade, lembranças, sonhos, história, realidade, vontade, verdade, ira...tudo tudo tudo.

Eu também "Te quero para sempre. Você e nossa famíla, nossos filhos e nosso amor. Eu te amo."

Sempre e pra sempre.

28 de jul de 2010

To com medo do futuro...


Sou professora.

Olha que legal...sempre adorei a ideia de ser professora.

Mas ultimamente estou com medo.

Sim sim, ando com medo do futuro.

Vejo crianças de 6 anos sem limites, sem saber o que é respeito, o que seja educação.

Sou super a favor de leis que garantam as leis de crianças.

Mas, sinceramente, não adianta fazer leis para crianças e não favorecer instruções adequadas para as famílias de como educar as seus filhos.

No ECA já tem lá garantido que a criança tenha locais de lazer. Mas isso só no papel, porque aqui onde moro mesmo as crianças tem poucos, ou nenhum, locais de lazer.

Cinema, teatro, biblioteca..???? aonde estão? Os parques então nem se fala.

Tenho medo do futuro pois as crianças de hoje serão o futuro e o que poderemos esperar delas?

O que estamos dando a elas?

Temos de nos repensar, temos de nos recuperar...

25 de jul de 2010

Quem ainda não se converteu....tem tempo.


Outro dia estava eu aqui com meu controle remoto na mão (me sinto poderosa quando estou com o controle remoto) e mudando de canal; tv aberta hoje em dia só por falta de dinheiro pra ter uma tv paga; num domingo de manhã (só pra termos ideia da situação) quando descobri que hoje em dia só não se converte quem não quer.

Porque GENTEEEEEEMMMMMMMMMM, só tem programas de religião. Só isso, e o melhor é que é para todos os gostos e rostos e vontades e tudo o mais.

Bem, como deve ser explicado, eu ultimamente não ando tendo muita paciência com religião.

Não sou contra nenhuma e nem a favor. Acredito que cada pessoa tem condições de julgar o que é melhor para si. Enquanto foi bom pra mim, como pessoa, eu segui uma religião. Ia a Igreja, fazia encontros, sorria e era feliz. Até o momento em que aquilo tudo começou a sufocar o meu verdadeiro eu, daí foi impossível continuar, tive de parar.

Agora o porque eu levantei de minha cama para vir até aqui digitar essas coisas?

Estou eu deitada em minha cama, com o controle na mão, assistindo dois programas ao mesmo tempo (por isso gosto do controle). Quando terminaram eu comecei a "vasculhar" esta telinha...um canal me chamou a atenção. Tem 2 mulheres conversando, uma pastora e a outra repórter (também da igreja) e o assunto é "Casamento". Quando de repente a pastora diz..."A mulher é submissa ao homem. O homem foi criado por deus para conquistar e a mulher para ser submissa a esse homem. E não é submissa de abaixar a cabeça, mas sim de COLABORAR COM O HOMEM."

E ela ainda tentou explicar mais ainda o que seria esse ser 'submissa', que é ter uma missão...que a mulher esta 'sob a missão de colaboração".

Agora por favor alguém me explica uma coisa...Como uma pessoa que fica em casa, cuida dos filhos, lava, passa, cozinha, sabe os gostos de todos em sua casa e de amigos, cunhados, parentes... quando esse homem chega em casa ela já cuidou de tudo, já foi a escola ouvir a professora reclamando do seu filho pois ele está correndo na hora do recreio, já limpou a casa, já tem comida pronta, já ligou nas Casas Bahia e fez renegociação da dívida que tinham, já levou a mãe no posto de saúde para tomar a vacina contra gripe....pode ela ser a colaboradora??

Ou então ela saiu antes até desse homem para trabalhar, ouviu desaforo da patroa, fez faxina na casa de alguém. Chegou em casa, lavou, passou, cozinhou, conversou com as crianças, leu as agendas, respondeu o recado da professora (reclamando do filho que estava correndo no recreio), trouxe a fruta preferida do marido, tomou banho, jantou e esta indo descansar para levantar cedo no dia seguinte. Essa mulher é realmente colaboradora?

Pra mim ela é a que FAZ e não a que colabora.

Queria ver um homem fazer tudo isso com muita desenvoltura e humor.

Conseguir ainda no sábado ir ao aniversário da sobrinha e ajudar a irmã a fazer os preparativos.

Não somos colaboradoras. Somos as Atrizes Principais.

Sem nós nada é feito. Não tem como não há vida, literalmente falando, se não for nós mulheres.

ÀAAAAA MULHER. Como te admiro.

Fui criada por duas maravilhosas mulheres. Batalhadoras, vencedoras, participantes, ativas, fazedoras de histórias. De forma alguma, de maneira nenhuma elas foram colaboradoras.

Não estou dizendo que nós não devemos colaborar com a pessoa que esta dividindo a vida conosco.

Claro que sim, esse sem dúvida esse é um dos motivos de dividirmos nossa vida com alguém, se não fosse isso, não teria sentido, não seria necessário ter alguém, poderíamos continuar sozinhas.

Isso não quer dizer que só uma dessas pessoas deva ser fazedora e a outra colaboradora.

Em certos momentos eu preciso que a Amada colabore comigo, em outros momentos é ela que necessita da minha colaboração. Não dá pra só uma dar e a outra acolher.

Fico ainda decepcionada com essa mentalidade utópica, religiosa, machista e sexista dessa nossa sociedade, quando na realidade é bem diferente.

Esse é o momento de nós, mulheres, mudarmos essa realidade, essa visão errônea e impossitória, de quem somos.

Eu sinceramente não consigo acreditar que um deus fez um ser humano feminino pra ser 'colaboradora' de um outro ser humano masculino.

Acredito que com o tempo observou-se que a mulher é muito sábia e que com isso seria importante começar a 'domá-la'.

Vamos nos libertar disso.

Então se você ainda não se converteu, se converta agora.

Se olhe no espelho, se ame, se aceite, principalmente observe que você é a fazedora de história.

Você é o grafite e não o lápis.

E se converta, se livre dessa opressão que nos impuseram.

Vivamos a nossa verdade feminina: SOMOS PODEROSAS.

23 de jul de 2010

Quando penso em avanço social....



Quando eu na minha santa ignorância, acredito que a sociedade esta caminhando para um momento mais avançado de socialização...vem as eleições.

Sou super favorável à eleição. Um momento único da demonstração da democracia (sim ta certo que seria mais democrático se as pessoas tivessem a oportunidade de uma educação de qualidade para que pudessem votar com consciência...), de qualquer forma é um dos raros momentos, pensando bem, é o único momento em que pobre, rico, branco e preto não tem diferença. Não é só um ou só outro ou alguns de um e alguns de outro que podem participar.

Bem então deveria eu estar em alegria, afinal das quantas vamos votar?...huruuuuuu vamos passar 2 domingos indo à escolas, apertando teclinhas e vendo a cara da/o nossa/o candidata/o e ouvindo o toquinho tilililim de confirmação.

Mas não, não e não...nessa sociedade existe a igreja, religião. E estava eu lindamente passeando por alguns sites de notícias quando leio..."Bispo manda padres a falarem para seus fiéis a não votarem na Dilma pois ela é a favor do aborto."

"Meu mundo caiu..."

Gente aonde estamossssssssssss....que vida é essa?

Eu to quase desistindo dela, sabia?

Não to dizendo que é pra todo mundo ser a favor disso ou daquilo. Mas que a religião tem tirado de muitas pessoas o direito de escolha, de liberdade.

Vamos lá, o aborto já existe no nosso país. Só não sabe disso a Júlia, minha filha que não nasceu ainda. Quem tem um poder aquisitivo bom, faz aborto em clínicas pagas e tem suas vidas salvas. Elas podem até se confessar depois. Quem tem um baixo poder aquisitivo faz em locais inadequados, com remédios impróprios e por vezes vencidos e depois vão morrer nos hospitais públicos que trata com descaso as mulheres que lá chegam após um aborto.

Então essa mesma igreja pode me dizer quem é que eles estão protegendo? Quais vidas mesmo estão sendo preservadas e o foco de preocupação deles?

Nós mulheres continuamos sendo tratadas apenas como objetos, que tem de seguir ordens, apenas ordens.

Até em quem vamos votar querem mandar.

O Serra já se saiu bem na fita..."eu não concordo com o aborto" ELE É HOMEMMMMMMMM. Será que entendem que homem nem deve mesmo se preocupar com aborto pelo simples fato deles NÃO FICAREM GRÁVIDOS?

Não existe ser mais complexo que a mulher. E acredite isso não é uma critica negativa, apenas a realidade.

Estou eu aqui cheia de dor pelo corpo porque vou menstruar e parece que tem um monstro dentro de mim me consumindo. Algum homem é capaz de saber o que é isso??? Não porque eles não menstruam.

Eu acredito que assim como o homem toma a decisão de deixar uma mulher sozinha quando descobre que ela esta grávida, a mulher tem o direito de não prosseguir com uma gravidez.

Minha sobrinha disse assim: "Se a mulher não quer, deixa pra adoção"

Legal isso, seria até a solução de muitos outros problemas...mas é aiiiiiiiiii que temos outro problema, e talvez um dos maiores que temos no nosso país, ADOÇÃO.

Não é simples, nem fácil adotar uma criança. Tanta burocracia que a criança cresce abandonada num orfanato, sem carinho, amor, atenção...

Vou pensar na mulher, nessa que também sou eu e que não posso prever o futuro meu, nem da minha companheira e nem da nossa criança tão ansiada e aguardada.

Quero acreditar e preciso, numa sociedade menos preconceituosa, mais igualitária e honesta.

Não vamos deixar que mais uma vez a igreja...essa que já matou em nome de deus, nos diga em quem votar ou não votar. Porque ela também é política.

As pessoas devem querer ir a igreja para estarem com deus e não para serem cordeirinhos que caminham um atrás do outro sem saber para onde estão indo.