23 de out de 2010

Realmente é tempo de mudança...


Eu tentei e cheguei ao meu limite. Estou no meu caos...então vamos às mudanças.
Amada não quis mais escrever no blog, na verdade acredito que ela nunca quis, apenas aceitou para me fazer um agrado então agora sou só eu.
Arrumei de uma forma diferente o blog, tentei fazer algo que eu gostasse e que de certa forma me identificasse mais.
Mudança é essa a palavra de ordem para tudo o que anda acontecendo comigo ultimamente.
Espero que gostem, que leiam que façam comentários.
Vou tentar escrever mais, me mostrar mais...mudar, isso!!! agora é hora para isso.
Depois veremos o que permanece e o que se coloca de lado.

Quero desbravar cada vez mais o meu eu, quem sou o que sou e quem ainda posso ser. Com a grandeza de não deixar de ser eu.

Nos encontramos entre um papo e outro...

21 de out de 2010

Limpar as vezes faz bem...


Hoje completei uma limpeza que a um tempinho atrás havia começado.
Tive a oportunidade de rever algumas coisas de pessoas queridas, recordações me veio à mente e eu apenas sorri.
Sim sorri com as lembranças, com a saudade, com a vontade, com o que de bom ficou em mim das pessoas que por mim já passaram.
É bom limpar, é bom colocar em ordem, é bom renovar.
E sorrir...rsrs
Amores que se foram e ao mesmo tempo permanecem, amizades que fizeram questão de ir mas que nunca deixaram de estar...
A limpeza ajuda reviver alguns momentos e isso foi bom, foi renovador.
Relembrar bobagens de uma época onde o que me importava era apenas as bobagens, que pena que não pode mais ser assim e que bom que não pode mais ser assim.
Parte de meu ser quer o passado e suas não responsabilidades, apesar de minha vida toda ter sido de responsabilidades, e a outra parte quer o presente e suas responsabilidades e consequências.
Como não posso estar somente lá, vivo o melhor de mim aqui relembrando o que foi lá e isso faz o que eu sou.
Não falo de mágoas, de dores, sofrimentos...isso é só detalhes de uma vida que é vivida.
Falo dos sorrisos, da experiência do olho brilhando, das andadas na beira da represa, das promessas nunca cumpridas, dos corações desenhados em todos os objetos possíveis e imagináveis...
E agora começa uma nova etapa daqui a algum tempo outra limpeza, outras lembranças e mais sorrisos para guardar em minha memória do que tem sido o hoje, aqui.

18 de out de 2010

Apenas fechei os olhos...


Computador, eu, cansaço, trabalho, pensamentos, crianças....essa era eu na frente do pc depois de ver alguns seriados e começando a fazer atividades para as crianças.

De repente fecho o meu olho e abro bem na frente da lembrança que compramos em Buenos Aires, em abril deste ano.
Por um instante saí de mim. Fui levada novamente àquele lugar, senti o cheiro, vi as pessoas, o colorido, a Amada empolgadíssima (ela não estava tão empolgada em Santiago do Chile), os risos, o som do tango, os dançarinos de tango, o vinho, as macarronadas que comemos, os drink's que aprendi a tomar...

Tudo, tudo, tudo.

Tudo de um feriado e de uma comemoração.

Estranho essas coisas que a nossa mente faz conosco. Estamos quieta e de repente...tcharam, lá vem ela com uma de suas surpresas.

Esse souvenir em especial que estou a olhar, me lembra uma casa, até porque é uma casa, rsrsrs. Quero dizer que me lembra lar, família, segurança, porto, esperança...

Talvez seja pela nossa casa nova, talvez porque hoje me sinto em casa em mim mesma. Ou porque eu simplesmente quero estar sempre em casa.

Como saber? Tenho mesmo de saber?

Vou apenas ficar com a sensação boa que esse souvenir me trouxe, e fazer de tudo para ter outros momentos ótimos como esse.

Lembranças boas é o que quero sempre guardar em minha alma, em meu ser e em meu lar.

15 de out de 2010

Não sei como, onde e no que pensar


Eu quero dizer, quero escrever, mas nem sei por onde começar, como começar e como fazer para o que ecoa dentro de mim se transformar em palavras escritas.

Penso que estou fazendo o correto e o melhor e descubro que não é dessa forma como é visto, entendido, aceito, vivido pela outra pessoa.

Ahhhhhh, não sei mesmo como fazer.


Vidas diferentes tem dessas coisas de um falar e o outro não interpretar ou vice versa.

Seria tão mais simples se as vezes só nos colocassemos no lugar da outra pessoa, se ao invés de criticar ou nos fazer de vitimas, apenas aceitassemos o que estamos ouvindo, vendo, lendo.


Esperava outra reação, pensei em ter outra ação, acreditei que seria um passo e que seria acolhida e reconhecida, ledo engano.


Me encontro novamente na situação estática.

Não quero ter receios, nem medos, nem ficar parada. Quero sorrir, quero amar, quero ser eu, simplesmente eu...me aceite assim por favor.


Faça de seus braços meu asilo.


Ainda não sei como, onde e no que pensar.