7 de fev de 2011

IMAGEM


A imagem que vê
Relembra sua história
Revive momentos
Alegra-se
Emociona-se
Suspira e olha sua verdade.

Uma página a mais em sua vida
E aquela imagem
Que tanto quis ser sua eternidade
Mostrou-se apenas mais um capítulo
De tantos outros que já havia vivido.

Não entristece
Não chora
Não resiste
Aceita seu momento
Sorri mais uma vez
Contemplando outra imagem.

A.N.A. 07/02/11

1 de fev de 2011

À Amada

À Amada


Tinha que ter esse nome


Um n a mais,

Nasalando,

Ninando,

Mimando.

A Substância do que és.

Podia se chamar também Estela, estrela

Luz irradiada do passado

Visivelmente presentificada

Não, não é uma mulher comum

Mas podia se chamar Maria

Exemplo daquelas tantas marias citadas

Que lutaram, que foram humilhadas

Que persistiram

Sim, talvez exista um nome sinônimo de teimosa,

Transgressora, rebelde,

Aos olhos dos olhos

Pois aos olhos de si mesma

Amada

Nome adjetivo

Verbo no gerúndio

Fe- minina.



De Ivete Irene.


Esse poema foi uma amiga, Ivete, que me presenteou.
Amigos são sementes.

Promessa

Promessas feitas.
Quase de toda realizada.
Uma leitura e se repensa
Se cansa
Chora
Aceita, nega.
Acredita, duvida
Impõe, ilude, desilude, desiste.


No espelho o olhar perdido
Não sabendo onde parar, 
No que parar
Em que parar.


No rosto o desgosto.
O cansaço.
Abatido, sente as lágrimas molhar, 
O que antes era sorriso
Hoje é rijo.


Suspira, fecha os olhos.
Respira e inspira.
De olhos cerrados
Promete a si não mais continuar. 

A.N.A. 01/02/11