25 de jul de 2010

Quem ainda não se converteu....tem tempo.


Outro dia estava eu aqui com meu controle remoto na mão (me sinto poderosa quando estou com o controle remoto) e mudando de canal; tv aberta hoje em dia só por falta de dinheiro pra ter uma tv paga; num domingo de manhã (só pra termos ideia da situação) quando descobri que hoje em dia só não se converte quem não quer.

Porque GENTEEEEEEMMMMMMMMMM, só tem programas de religião. Só isso, e o melhor é que é para todos os gostos e rostos e vontades e tudo o mais.

Bem, como deve ser explicado, eu ultimamente não ando tendo muita paciência com religião.

Não sou contra nenhuma e nem a favor. Acredito que cada pessoa tem condições de julgar o que é melhor para si. Enquanto foi bom pra mim, como pessoa, eu segui uma religião. Ia a Igreja, fazia encontros, sorria e era feliz. Até o momento em que aquilo tudo começou a sufocar o meu verdadeiro eu, daí foi impossível continuar, tive de parar.

Agora o porque eu levantei de minha cama para vir até aqui digitar essas coisas?

Estou eu deitada em minha cama, com o controle na mão, assistindo dois programas ao mesmo tempo (por isso gosto do controle). Quando terminaram eu comecei a "vasculhar" esta telinha...um canal me chamou a atenção. Tem 2 mulheres conversando, uma pastora e a outra repórter (também da igreja) e o assunto é "Casamento". Quando de repente a pastora diz..."A mulher é submissa ao homem. O homem foi criado por deus para conquistar e a mulher para ser submissa a esse homem. E não é submissa de abaixar a cabeça, mas sim de COLABORAR COM O HOMEM."

E ela ainda tentou explicar mais ainda o que seria esse ser 'submissa', que é ter uma missão...que a mulher esta 'sob a missão de colaboração".

Agora por favor alguém me explica uma coisa...Como uma pessoa que fica em casa, cuida dos filhos, lava, passa, cozinha, sabe os gostos de todos em sua casa e de amigos, cunhados, parentes... quando esse homem chega em casa ela já cuidou de tudo, já foi a escola ouvir a professora reclamando do seu filho pois ele está correndo na hora do recreio, já limpou a casa, já tem comida pronta, já ligou nas Casas Bahia e fez renegociação da dívida que tinham, já levou a mãe no posto de saúde para tomar a vacina contra gripe....pode ela ser a colaboradora??

Ou então ela saiu antes até desse homem para trabalhar, ouviu desaforo da patroa, fez faxina na casa de alguém. Chegou em casa, lavou, passou, cozinhou, conversou com as crianças, leu as agendas, respondeu o recado da professora (reclamando do filho que estava correndo no recreio), trouxe a fruta preferida do marido, tomou banho, jantou e esta indo descansar para levantar cedo no dia seguinte. Essa mulher é realmente colaboradora?

Pra mim ela é a que FAZ e não a que colabora.

Queria ver um homem fazer tudo isso com muita desenvoltura e humor.

Conseguir ainda no sábado ir ao aniversário da sobrinha e ajudar a irmã a fazer os preparativos.

Não somos colaboradoras. Somos as Atrizes Principais.

Sem nós nada é feito. Não tem como não há vida, literalmente falando, se não for nós mulheres.

ÀAAAAA MULHER. Como te admiro.

Fui criada por duas maravilhosas mulheres. Batalhadoras, vencedoras, participantes, ativas, fazedoras de histórias. De forma alguma, de maneira nenhuma elas foram colaboradoras.

Não estou dizendo que nós não devemos colaborar com a pessoa que esta dividindo a vida conosco.

Claro que sim, esse sem dúvida esse é um dos motivos de dividirmos nossa vida com alguém, se não fosse isso, não teria sentido, não seria necessário ter alguém, poderíamos continuar sozinhas.

Isso não quer dizer que só uma dessas pessoas deva ser fazedora e a outra colaboradora.

Em certos momentos eu preciso que a Amada colabore comigo, em outros momentos é ela que necessita da minha colaboração. Não dá pra só uma dar e a outra acolher.

Fico ainda decepcionada com essa mentalidade utópica, religiosa, machista e sexista dessa nossa sociedade, quando na realidade é bem diferente.

Esse é o momento de nós, mulheres, mudarmos essa realidade, essa visão errônea e impossitória, de quem somos.

Eu sinceramente não consigo acreditar que um deus fez um ser humano feminino pra ser 'colaboradora' de um outro ser humano masculino.

Acredito que com o tempo observou-se que a mulher é muito sábia e que com isso seria importante começar a 'domá-la'.

Vamos nos libertar disso.

Então se você ainda não se converteu, se converta agora.

Se olhe no espelho, se ame, se aceite, principalmente observe que você é a fazedora de história.

Você é o grafite e não o lápis.

E se converta, se livre dessa opressão que nos impuseram.

Vivamos a nossa verdade feminina: SOMOS PODEROSAS.

Nenhum comentário: