10 de set de 2009

Quero paz.


Imaginava que conseguiria suportar todas as aventuras e
desventuras dessa vida.


Me via forte, inabalável, com resistência
suficiente para o que der e o que vier.

Enganei-me, me pergunto em que mundo de fadas eu vivia? Justo eu que detesto contos de fadas. Em que redoma de vidro
me enfiei EU que não suporto "O Pequeno Príncipe"? O que aconteceu com minhas
certezas, aonde elas se esconderam, onde estão hoje onde só encontro dúvidas e questionamentos?

Tudo resolve acontecer no momento em que o que você não deseja são novos acontecimentos desagradáveis e nem agradáveis já que não se sabe se é justo aproveitar o bom com tantas coisas cruéis acontecendo. E as desagradáveis não te dão opção de escolha.

E "Deus" aonde fica em toda essa história? Faz alguns aninhos que deixei religião de lado, faz tempo que não consigo ter uma relação coerente, digamos assim, com o 'Barbuchinho" lá de cima, como dizia uma pessoa que eu conheci. E vejo que preciso ter uma fé, preciso olhar para o céu e ACREDITAR que existe um ser lá observando tudo, mas dai me vem uma revolta em saber que tem alguém me olhando e permitindo que as coisas aconteçam no ritmo que vem acontecendo, sem pedir licença, brincando com o que não tem a menor graça.

E quem acalma meu coração? Quem seca minhas lágrimas? Quem me ouve só por ouvir, só pra dar o seu ombro, a sua presença?

Não quero muito, só quero PAZ, essa que eu não conhecia, essa que na minha vida só se fez presente através de poemas, sonhos, ilusões, esperanças, desejos, anseios... até que fui apresentada à ela, fizemos amizade e trilhamos um longo caminho juntas.

Agora pergunto:
"Aonde estas senhora Paz?"
Que ares fostes respirar que precisastes me deixar aqui no mesmo lugar?
Não quero prender-te, nem sufocar-te. Apenas quero sua presença, sentir-te novamente sempre e cada vez mais.

Fiz uma promessa a mim, e a Amada, que iria fazer meus dias serem maravilhosos, já que sou feliz com muitas das coisas que venho vivendo.
Agora entendi o por que das coisas estarem como se encontram. Eu prometi, eu me comprometi e agora preciso fazer valer, fazer acontecer, preciso cumpri o que disse.

Por que não me ensinaram que promessas são cobradas a ferro e fogo? Por que na escola, essa escola que todos discutem sobre, essa que todos temos de passar para conseguir algo na vida, não me ensinaram algo mais que B+A=BA?

Escutar os mais velhos? Pra que? E talvez com eles eu tivesse aprendido essas coisas que na escola não se ensina, mas a Vida exige, cobra e explora.

Hoje achei que ia explodir, num daqueles lapsos em que parece que nada mais vai dar certo, que a Vida é irônica demais e que não vale a pena nada daquilo que você tanto sonha, busca, almeja, faz acontecer. Eu chorei, as lágrimas nem pediram licença saíram livres como se tivessem ordem para isso, num momento importuno, numa hora péssima.

Só posso reconhecer que sou gente, que preciso merecedora ou não eu quero a Paz de novo, quero deitar na cama e dormir não de cansaço, desanimo ou desamor, mas sim por estar feliz, tranquila e desejosa de um novo dia, para fazer valer tudo novamente. Para sorrir, para criar, para amar, para acreditar, para sonhar, para buscar, para entregar, para receber e doar...

Não gosto dessas noites onde você não sabe o que te espera no raiar do dia.

Não gosto dessa brincadeira Vida, Deus, Zeus, Orixás, Buda, Anjos, Demônios...e tantos outros que, possam ou, existe.

Será que da pra isso ter um fim? Será que dá pra fazer-me relaxar? Quando será que meus ombros não doeram mais por causa do peso que se encontra hoje?

Vou dormir fazendo um único pedido.

Amanhã deixa eu te encontrar, Paz!!!!!!!!

Nenhum comentário: